Sejam todos bem vindos para uma boa prosa...



quinta-feira, 28 de outubro de 2010

AS ESTAÇÕES

Estou com um problema de configuração no Blogger que está dificultando bastante as minhas postagens de texto. Peço paciência e desculpas a todos enquanto tentamos solucionar, OK?

Essa é uma mensagem conhecida por alguns, que resolvi reproduzí-la nesse espaço para uma reflexão.


Conta-se que um homem tinha quatro filhos e queria ensiná-los a não ter pressa em fazer os seus julgamentos. Por isso, convidou cada uma deles para fazer uma viagem e observar uma pereira plantada no local.
O primeiro filho, chegou lá no inverno, o segundo, na primavera, o terceiro no verão e o quarto no outono

Quando chegaram  o pai pediu entao contassem o que tinham visto.
O primeiro, chegou no INVERNO e disse que a árvore era feia, seca e distorcida.

O segundo chegou lá na PRIMAVERA, e disse que não era verdade, pois tinha visto uma árvore cheia de botões e carregada de promessas...

  

O terceiro chegou no VERÃO e disse que jamais tinha visto árvore tão graciosa... ela estava coberta de flores e com um cheiro doce e delicioso.

 
O último, chegou no OUTONO e constatou uma árvore carregada e arqueada, cheia de frutos, vida  e promessas...



 O pai então explicou que todos estavam certos, pois haviam visto apenas uma estação da vida da árvore e que não se pode julgar uma árvore  ou uma pessoa por apenas uma estação. 
Algumas conclusões:

Se alguém desistir no INVERNO perderá as promessas da PRIMAVERA, a beleza do VERÃO e a expectativa do OUTONO;

Não permitir que a dor de uma estação destrua a alegria de todas as outras;

Não julgar a vida apenas por uma estação dificil;

Perseverar através dos caminhos difíceis e melhores tempos surgirão de uma hora para outra! 

Olhando para essa imagem  e dando maior leveza ao tema e a sua noite de hoje, um doce para terminar o dia em GRAND FINALE...

TORTA  DE PERAS

1xícara de farinha de trigo
1 x de chá de nozes moídas
3/4de x de chá de açucar (cristal ou mascavo)
3/4 de x de chá de manteiga gelada cortada em pedaços
1 colher de chá de canela
6 peras grandes descascadas e fatiadas ou quanto baste para duas generosas camadas.

1)Fatiar as peras e colocar duas camadas em uma forma bonita que vá ao forno, intercalando com parte da canela e açúcar (que são apenas polvilhados, bem pouco);
2)Misturar a farinha de trigo, as nozes, o restante do açucar e canela com a manteiga em pedacinhos até que forme uma farofa;
3) Cobrir as peras e levar ao forno por 30min em temperatura de 180º

Para acompanhar, fazer um creme inglês (butterscotch)  derretendo uma colher rasa de manteiga com um pouco de açucar, após esfriar, acrescentar  1/2 lata de wisky incorporando bem e por último, uma lata de creme de leite. Deixar gelar.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

NATAL 1 - lembranças


Hoje me dei conta da proximidade do Natal. Como gosto desta data...
Deixando o seu verdadeiro significado para depois, é  quando fico mais próxima das minhas melhores lembranças infantis.


                   
 (Sou a segunda,da esquerda para a direita, na primeira fila)



 Os preparativos natalinos na Igreja Evangélica onde eu fui criada, com os seus ensaios do coral infantil, acrósticos, peças natalinas, de outubro à dezembro, tudo na mais bela e melhor euforia da infância e que pouco tempo depois, meus queridos amigos dos "piques" e das Brincadeiras mil, seriam aqueles que compartilhariam comigo das tantas mudanças que o "Adolescer" provoca em todas as suas nuances, com transformações e descobertas.


 Em casa, hummm ... todo Aquele frisson para enfeitar a Árvore de Natal, tentando reproduzir no mundo real o que as cantigas natalinas  produziam no admirável mundo do imaginário Infantil.
Os sapatos na janela, o momento mágico do dia 25 de Dezembro em que nas primeiras horas da manhã, eu e meus dois Irmãos, corríamos para abrir a porta de casa e nos deparar com os nossos singelos presentes (onde nao tinha importância o valor de cada um e sim o que significavam para nós) que imaginávamos loucos para pular em nossas mãos!!!





Entao, que tal entrar no clima ?

 Olha que interessante essa Árvore com bonecos representando crianças de todo o Mundo!





sexta-feira, 22 de outubro de 2010

BAURÚ

 
Adoro sanduiches!! Nesse  fim de semana vou começar com uma receita simples mais imperdível: O verdadeiro Baurú.
Não é esse sem-vergonha que anda por aí, se achando, só porque tem uma rodelinha de tomate,  hamburger ou presunto, enganando os de boa fé...
O Baurú original é aquele que é feito com uma mistura de queijos, que são derretidos e  colocados em pão frances(sem miolo) com generosas fatias de rosbife, tomate e pepino em conserva(querendo).
Ele foi criado em SP,  mais precisamente no Bar  Ponto Chic, nos anos 30, por um de seus frequentadores que tinha esse apelido por ser orgulhoso de sua cidade natal.
O "Ponto Chic" existe até hoje, e mantém a sua tradição de oferecer o original sanduiche aos seus  clientes e se vcs não podem ir lá para conferir, podem ser os autores dessa delícia!

Uma antiga foto do local para  começar a entrar no clima:

Essa é a minha receita:


-Pão francês sem miolo
-fatias de rosbife                                                                              
-rodelas de tomate
-queijos (suiço/gouda/prato-estepe)


Colocar de 1 a 2xícaras de água para ferver. Acrescentar mais ou menos 2 colheres de chá de manteiga
e os queijos, até que derretam, ajudando com um garfo.
Abrir o pãozinho, retirar o miolo e colocar em uma metade o creme de queijo e na outra o rosbife e as rodelas de tomate,

VAMOS COMENTAR???

Oláaa


Sabe esse Blog, é muito legal! Dê uma passadinha lá pra ver, e ainda por cima está com essa promoção que é tudo de bom ( e a brincadeira então, melhor ainda...) Mas tem de comentar, gente!!!
http://www.calmaqueestoucompressa.blogspot.com/
Vamos ver se assim vcs "desabrocham" e começam a treinar lá...rsrsrsrs
É tão bom receber recadinhos...Adoro!!
Desde já, agradeço aqui (porque já respondi os emails) as mensagens que recebo sobre o blog no ORKUT ou na minha caixa de email, mas insisto: comentem no post, OK?
bjs e até já...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

EMPADÃO DE CAMARÃO

Essa é uma receita  do Álvaro Rodrigues muito usada aqui em casa porque além de ser bem saborosa e fácil de fazer, fica bem fininha e a culpa diminui também.  A Michele faz divinamente (fica aqui registrado o crédito)!!  Dessa vez foi de camarão, mas o de frango e o de palmito também ficam deliciosos.

1K de camarão
suco de 1 limão, sal e pimenta do reino à gosto
3 colheres de sopa de azeite
200 gr de palmito
1/2 x de azeitonas
1 cebola ralada
1 copo pequeno de requeijão(200ml)
1 colher de sopa de farinha de trigo
100 ml de leite(mais ou menos 1/2 copo)
salsinha ou coentro

1) Lave  e limpe bem o camarão. Tempere com o suco de limão, sal, pimenta e o coentro ou salsinha
2) Colocar o azeite em uma panela e juntar o camarão para um leve refogado(senão endurece)
3) Juntar a cebola, a azeitona e o requeijão mexendo por alguns segundos
4) Acrescente a farinha de trigo diluída no leite para dar uma cremosidade ao recheio e finalmente, o palmito em rodelas.  Deixe esfriar.

Massa:
2x de chá de farinha de trigo
2 colheres de sopa de maizena
150 gr de manteiga gelada picada
1 colher de chá de sal
2 colheres de chá de fermento em pó
1 ovo
4colheres de sopa de leite frio

Peneire os ingredientes secos juntando a manteiga formando uma farofa. Acrescente o ovo e o leite (tendo o cuidado para não trabalhar muito a massa);
Deixar descansar por 30 minutos, no mínimo.
Após, abrir 2/3 da massa e forrar uma assadeira fazendo furinhos na massa com um garfo, levando ao forno por 15min para dar uma pré assada;
Deixe esfriar e coloque o recheio, cobrindo com o restante da massa e pincelando com uma gema(para dar uma douradinha) Por mais 15 ou 20 min.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

FRANGO À CAMPONESA


Hoje, um franguinho  com "sustança", de preferência sem ser congelado, para entrar no "clima" do interior... Aquele em que  o dia nasce com o galo cantando e um suave cheirinho de café coado no pano...


Muito gostoso, saudável e rápido.

+/- 8 pedaços de frango (peito, sobrecoxa e coxa)                                                
4 dentes de alho
1 limão, 1 folha de louro, sal, pimenta do reino(a gosto), 1 pimentinha vermelha picada


Fazer um vinha d'alho e deixar o frango marinando por algumas horas.


Dourar o frango (sem o marinado) em 4 c s  de azeite até que "suje" o fundo da panela e flambar 1/4 de xícara de vinho branco seco deixando evaporar um pouco; Juntar, então,  o marinado, 12 cebolinhas em conserva (ou uma cebola grande em cubos), 2 c s de alecrim e (um raminho de outra erva à seu gosto que pode ser hortelã ou coentro ou salsa- não coloquei), 2 cenouras grandes cortadas em quatro partes cada uma e um pouco de água fervente (o suficiente para dar o vapor no cozimento das cenouras).
Ao final do cozimento, adicionar 250 gr de champignons (uma xícara).
                                    
E para continuar tendo a sensação de que o dia é bem maior do que parece, e que o sol sugere felicidade e vida harmoniosa, como apaixonada pelo Impressionismo que sou, um presente para os seus olhos/alma.




segunda-feira, 18 de outubro de 2010

BOLO DE NOIVA

Esse é um bolo tradicional de Recife, herança dos ingleses que passaram por ali. Por tradição, as noivas pernambucanas  congelavam(congelam?) pedaços desse bolo para comer no aniversário de  um ano de casamento porque acreditavam trazer sorte.
Quando chegou no Recife era feito com cerejas mas foi substituído por ameixas, bem como o vinho foi usado em substituição a outra bebida também, e por ser  muito rico em seus ingredientes "natalinos" é  encontrado nas festas e conhecido também como Bolo de Natal.
Sua massa é incrivelmente úmida e tão saborosa que não necessita de recheio.
Hoje é mais fácil achar sua receita, porém  a que estou postando aqui foi conseguida através de uma  amiga da família, pernambucana, que gentilmente como boa nordestina, dividiu o segredo desse delicioso Bolo .
A quantidade dos ingredientes  é da receita original e  rende bastante.
EXPERIMENTEM, É UMA DELÍCIA. Uma boa opção para a sua mesa de Natal!


Ingredientes:
1/2K de manteiga
1/2K de açúcar
1/2K de farinha de trigo com fermento
8 ovos
1cl chá sal
2 colheres de sopa de choco em pó
uma pitada de noz moscada e canela
250 gr de frutas cristalizadas
250gr de passas sem caroço
600gr de ameixa seca sem caroço
1 xícara de vinho do Porto  ou Moscatel
OBS1:(as frutas e as passas são colocadas de molho no vinho na véspera)
        2: (as ameixas são cozidas com 3colheres de sopa de açucar e um pouqunho de água, reservar)


É preciso uma batedeira grande. nela, colocar toda a manteiga, o açucar, aos poucos e quando ficar um creme adicionar os ovos. Desligue um pouco a batedeira para que repouse um pouco(5min).  Então, coloque a farinha aos poucos, o chocolate e o doce da ameixa, misturando bem acrescentando o vinho, e por último as frutas cristalizadas e as passas, aos poucos, para não grudarem.
Prepare a forma untando com manteiga e  depois colocado um papel manteiga(untado também) ao fundo da forma e despeje a massa levando ao forno pré-aquecido em torno de 1 hora.
Desenforme e deixe descansar até o dia seguinte (SE CONSEGUIREM)

As profissionais que fazem esse bolo dizem que tem de esperar 24hs  para confeitar e, querendo guardar por vários anos(Poooodeee??)basta cortar as fatias, embrulhar em papel metálico e colocar no freezer. Quando  quizer é só tirar da geladeira, abrir e comer...Não precisa esperar descongelar... Elas garantem. Nunca comprovei porque não houve sobras...

sábado, 16 de outubro de 2010

COLCHA DE RETALHOS

Gosto das palavras, de brincar com elas. Da mesma forma, o mundo das imagens exercem sobre  mim um  grande fascínio, na sua comunicação sem palavras.

Assim, olhando para o layout de minha página inicial lembrei de um filme assistido há algum tempo, que gostei muito: Colcha de retalhos (How to make an American quilt).
Um drama, bem interessante, que narra o rico universo feminino  através de  histórias contadas por mulheres que se encontram uma vez ao ano para tecer uma colcha feita de retalhos (Patchwork), dessa vez, para dar de presente  a neta de uma delas que está para casar e chega ao local, na verdade, para repensar sua vida  e escolhas.

É um filme sensível, em meio a  cenas e acontecimentos belos, que traz à tona lembranças sobre a vida, família, relacionamentos amorosos, numa linda costura de imagens, que na verdade é uma grande alegoria,  onde cada uma borda um pedaço da colcha, que por sua vez, retrata parte de suas histórias mostrando através desses bordados os momentos em que foram felizes.
Daí, a neta (Finn) que chega ao local "perdida", confusa, começa a ficar envolvida pela "memória  viva"  dessas mulheres e  retoma a  sua tese de mestrado, construída com as experiências dessas mulheres e seus mundos interiores.


Então, queridos, esse é o meu presente para vcs hoje...
Uma dica para assistir nesse final de semana, bem aconchegadinho(a),  um lindo e "terapêutico" filme  e incentivá-los, quem sabe, no viés das lembranças, também,  transformar em arte as suas histórias e alinhavar novos finais para cada uma delas!!


Não deixem de ver!!



quinta-feira, 14 de outubro de 2010

GENEROSIDADE

"Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses."
(Rubem Alves)

Não tem como passar incólume pelo acontecimento da semana.
No resgate do grupo dos mineiros do Chile muito se ouviu falar da resistência, coragem  e da solidariedade que tiveram e que sem dúvida nenhuma foram atitudes e ações de verdadeiros guerreiros, porém, vejo que o ganho maior do grupo foi em cada um sair dali outra pessoa.
Impossível passar pelo caos e sair da mesma forma. Como bem diz o  grande Rubem Alves, 

 "Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca para sempre. Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito, a vida inteira".

Acredito que saíram fortalecidos, conscientes da bomba atômica que existia em cada um,  e é esse potencial que resiste às maiores adversidades. Aqueles homens resolveram compartilhar com quase desconhecidos o que fariam com pessoas que amavam. 
Fica aí  um incentivo para todos que desistem tão facilmente ou  se desequilibram com um primeiro "não". São esses "Nãos" que forjam o nosso caráter e nos fazem "da fraqueza tirar força", ou seja, repartir fraqueza  e multiplicar forças. 
Repartir, é sempre um ato de solidariedade, que por sua vez é o primeiro passo para a Generosidade, que é uma Virtude, isto é,  a disposição para praticar o bem, como também é a compaixão, a justiça,  e tantas outras... 

bjs e um lindo entardecer para tds!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

BAGATELA

Bagatela pode sugerir algo despretensioso, mas essa sobremesa inglesa(trifle) está bem longe disso.
Trata-se, na verdade de camadas de creme inglês, geléias ou frutas, biscoitos,  nozes (ou amêndoas/passas/frutas cristalizadas), dispostas sobre fatias de pão de ló embebido em vinho e servida em vasilha transparente (para que se veja a beleza das camadas).
Não existe medidas certas para os ingredientes, que por sua vez, vão depender do que vc tem no momento.
Gosto muito dessa receita porque dá liberdade para se criar e inventar novos sabores, lembrando sempre que não pode faltar o creme inglês,  alguma fruta ou compota ou geléia  e o  bolo ou biscoito champagne (sempre embebido em vinho encorpado ou conhaque).


Faça um creme inglês com uma consistência de mingau e reserve;
Forre o fundo de uma tigela de vidro alta com o bolo embebido de xerez ou outro vinho encorpado e cubra com a  fruta escolhida (que pode ser cortada ou em forma de purê: morango/pessego em calda/abacaxi)
Acrescente uma camada de nozes  ou amêndoas,  duas conchas de creme inglês, novamente a fruta, os biscoitos quebrados embebidos, o creme inglês...vá superpondo as camadas até que fique mais ou menos  a 8cm da borda, para finalizar  com uma grossa camada de syllabub, que é uma combinação de creme de leite e vinho adoçado ou conhaque,  uma delícia antiga que vale a pena experimentar,  mas que vcs podem substituir  pelo velho e amigo creme de leite batido como chantilly.

CREME INGLÊS: (PARA 600ML DE CREME- vai depender da quantidade de bagatela que vc vai fazer)

6 gemas
60 a 125 gr de açucar
leite bem quente (600 ml)
Bater as gemas e acrescentar o açucar, batendo com batedor de arame até que a mistura fique clara;
Acrescente aos poucos o leite quente mexendo sempre;
Leve ao fogo em panela grossa, mexendo sempre em movimento contínuo, sem deixar ferver;
Quando o creme ficar espesso interrompa o cozimento colocando a panela dentro de uma outra com cubos de gelo para que não talhe, mexendo, até que esfrie


SYLLABUB:
A versão original desta receita é datada de 1800 quando ordenhava-se a vaca sobre a tigela de vinho; assim a acidez do vinho coalhava o leite não -pasteurizado, que se separava  do soro. Hoje, tendo em vista o pequeno  grande embaraço de ter uma amável vaquinha em casa, o syllabub, embora menos rústico, não  perde em nada no sabor  quando o creme de leite  é lentamente misturado ao vinho, para que não talhe e fique homogêneo. Em seguida a mistura é batida até que fique espumosa.

-100ml de vinho branco ou xerez
-2 colheres de sopa de conhaque
-60gr de açucar
-300ml de creme de leite espesso
-noz moscada ralada (uma pitadinha de nada só para perfumar)
-casquinha de limão (01)

De véspera, coloque a casca do limão, o vinho e o conhaque numa tigela. No dia seguinte, coe o  líquido numa tigela grande e funda, acrescentando o açucar e misturando até que o dissolva bem. Adicione o creme de leite, lentamente, mexendo sem parar. Tempere a mistura com a noz moscada e bata com um batedor de arame até engrossar e manter-se firme( esse processo pode levar de 5 a 15 min dependendo da consistência do creme, da temperatura  e da forma de bater) ficando com a consistência de picos bem moles; Deve ser evitada a batedeira pois segundos à mais e o creme ficará granulado. 

domingo, 10 de outubro de 2010

"A POESIA EXISTE PORQUE..."


"Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês.
Quando fechas o livro eles alçam voo como de um alçapão. Eles não tem pouso nem porto; alimentam-se um instante  em cada par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias, no maravilhado espanto de saberes que o alimento deles já estava em ti..."
(Mário Quintana)

Quando me perguntam : O que você escreve no seu Blog? Nâo consigo encontrar uma única resposta. Normalmente respondo: Tudo!  Percebo que postar receitas é apenas o fio condutor para compartilhar de algo que me emociona ou trás alguma aprendizagem.
Se são receitas, serão aquelas pinçadas, escolhidas, que têm alguma história ou   simplesmente, acredito que possa agradar o meu leitor e provocar (até, porque não) resgates de memórias gustativas, olfativas, visuais ...
Quando não, estarei postando outro tipo de alimento
que aquece a alma nos seus contornos de emoção...
Poesia, é um deles, a imagem, é outro...

Meu baú de idéias está aberto para encantar e dar significados...
Como diz Ferreira Gullart: "A poesia existe porque a vida não basta."
Beijos para todos e um ótimo domingo!

Vai dizer que essa imagem não fez bem aos seus olhos...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

RAGU

Ragu é um tradicional molho italiano que tem como base a carne cozida. A palavra  é  originária da França(ragoût) que quer dizer  guisado.  O molho é de cozimento demorado e preparado com tomates e pedaços grandes de carne magra ( ragu napolitano), apesar do  "ragu  à Bolonhesa" ser mais conhecido de todos ( aquele que é feito de carne picada na faca ou desfiada ou ainda, a carne moída) .
Daí,  os italianos que quase que não gostam de polêmicas,  vivem  numa constante disputa entre a região da Bolonha e  a de Nápole  que tomam para si  o "verdadeiro Ragu", enquanto  aqui,  a gente só tem a ganhar, porque se leva vinho ou vai carne de porco, fica ao gosto do freguês!!!
Uma outra diferença é que o Ragu Napolitano leva bastante molho e esse cozimento é longo para apurar os sabores, sendo característica do Sul da Itália  servir o molho com uma massa e ter a  carne como acompanhamento. No Ragu à Bolonhesa, a quantidade  de molho é menor, ficando uma maior quantidade de carne, sendo geralmente servido com polenta, segundo tradição do Norte da Itália.


Depois de vcs "entrarem no clima" e,  como não poderia deixar de ser, vou ilustrar  essa iguaria com o filme Sábado, Domingo e Segunda, de Carlo Ponti, que tem Sophia Loren como personagem principal,  numa tragicomédia  que tem o ciúme e o cotidiano de uma família napolitana, como viés principal, conduzido por Sophia que é a autêntica mamma Rosa, matriarca da família, onde começa a preparar o prato principal,  de véspera,  para o tradicional almoço de  Domingo  que é o  "pano de fundo" das calorosas discussões familiares  num sobrado de um Vilarejo, em Nápole.
Vale conferir o filme inteiro!  Abaixo, uma amostra da cena do açougue onde as mulheres começam a discutir ... Hilária!!!
http://www.youtube.com/watch?v=C-9hAlmDVjQ

Agora, vou postar a minha  receita do Ragu Napolitano  (sem a mistura de carne de porco e aves - não gosto).


. 1 K  de carne magra(patinho ou peixinho) cortado em cubos de mais ou menos 5cm
. 1 x de bacon picado
. 400 gr de tomate pelado(lata)
. 1 K de tomates maduros sem pele
. 200 ml de vinho branco ou tinto seco (como preferir)
. 1/2 x de azeite ou mais um pouco
. 200ml de água
. 1 cebola grande bem picada(se possível, processe)
. 1 cenoura picada
. 3 dentes de alho amassados
. 1 talo de salsão (aipo) sem as folhas (que deverá ser cozido no molho e depois retirado)
. salvia, alecrim e sal à gosto (ou  manjericão fresco, se preferir)


1) Deixe a carne em vinha d'alho de um dia para o outro(com o alho, a cebola e o sal);
2)Refogue a carne no azeite, até que doure, junte o bacon para ir fritando, tendo cuidado para não queimar...(eu sou um perigo nessa hora...);
3) Quando toda a vizinhança estiver "subindo pelas paredes" com o aroma no ar, coloque o VINHO, aos poucos (esse é um segredo tb), deixando evaporar um pouco até formar um fundo escuro, que vai dar sabor ao molho;
4. Abaixe o fogo, junte o vinha d'alhos,  a cenoura, o aipo e a água, deixando cozinhar até que ferva a água (mais ou menos 20min), mexendo de vez em quando e não deixando a água secar totalmente para não perder o sabor;
5. Acrescentar então os tomates pelados(lata), os tomates picados, a salvia, o alecrim e o sal, por mais 30min até que o azeite suba para a superfície do molho. Se o líquido diminuir muito, acrescentar mais um pouco de água e  corrigir o sal.
      Sirva acompanhando rigatoni ou fusile com queijo parmezão.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

RECICLAGEM

Em tempos de preocupação  com o meio ambiente, com o impacto ambiental sofrido pelo exagerado consumo e a dificuldade do planeta em absorver os resíduos gerados, cabe repensar a questão do consumo desenfreado assumindo uma postura ética e de cuidado com o planeta.
Existem alguns programas/projetos, através de Cooperativas ou ONGs que fazem a sua parte no quesito "reaproveitamento", "reciclagem", transformando o que antes seria "lixo" em peças com utilidade e beleza.
Vejam os sites a seguir e confiram:
http://www.florestas.org.br/  , a sua loja virtual: http://www.meumundosustentável.com/  e http://www.recicloteca.org.br/.


Recebi da prima Beth uma dica(que conhecia, mas não tinha as fotos) de reaproveitamento de parte de garrafas PET que repasso para todos.

CORTE LOGO ABAIXO DO GARGALO USANDO TESOURA OU OUTRO CORTADOR

PASSE O SACO POR DENTRO DO GARGALO CORTADO  E  DEPOIS É SÓ  AJEITAR O SAQUINHO E FECHAR COM A TAMPA, PODENDO SER USADO EM EMBALAGENS DE MANTIMENTOS, PÃES, BISCOITOS...
É uma forma de estarmos também contribuindo para o desenvolvimento sustentável.
 Voces não acham??